O Ecossistema Empresárial do Bitcoin

07/01/2018

Nem só de especulação vive o Bitcoin, mas quais são as empresas que compõem esse ecossistema? E o que seus CEO's tem a dizer sobre essa tecnologia?

Mineradores são os usuários da rede Bitcoin que emprestam seu poder computacionar para a rede Bitcoin poder verificar e registrar as transações. Os mineradores são recompensados com Bitcoin e cobram taxas (chamas fees) para verificar as transações.  Com a crescente popularidade do Bitcoin, o poder computacional também teve de aumentar, forçando empresas a competirem pelo desenvolvimento softwares cada vez mais rápidos e potentes para minerar Bitcoin.

Wallets são softwares desenvolvidos para enviar, receber e armazenar moedas digitais de forma segura. A wallet contém todos seus endereços Bitcoins, suas chaves secretas e histórico de transações. Essa tecnologia tem avançado muito nos últimos anos com o desenvolvimento de aplicativos mobile e web, fornecendo softwares seguros e acessíveis.

Com grandes direitos vêm grandes responsabilidades é a frase que melhor define a importância do armazenamento de Bitcoin. Você será a única pessoa que poderá acessar seus fundos, mas isso significa ter completa responsabilidade pelo seu dinheiro. Mas existem inúmeras formas de armazenar seu dinheiro em segurança e há uma forte disputa entre empresas no mundo inteiro preocupadas em tornar cada vez mais fácil manter seus fundos em segurança.

As exchanges desempenham o papel das corretoras e das bolsas de valores. É o cyberspaço responsável pela liquidez das moedas digitais. Nas exchanges é possível trocar Bitcoins por inúmeras outras moedas digitais, tokens ou moedas fiduciárias. Cada plataforma tem uma particularidade, um conjunto de moedas e um custo. A disputa por criar exchanges cada vez mais rápidas, seguras e de fácil uso cria um ambiente de crescente inovação.

Implementar uma nova forma de se fazer pagamentos é disputar com grandes empresas o monopólio das transações no mundo. O mercado de processamento de pagamentos movimenta grandes quantias de dinheiro e as empresas agora precisam disputar com uma tecnologia que permite usuários se conectar sem empresas intermediando essa relação. As fintech precisam estar de olho aberto acompanhando cotidianamente o desenvolvimento dessa tecnologia.

O Bitcoin permite que qualquer pessoa transcione em qualquer lugar do mundo e em qualquer hora. Essa transformação abriu caminho para uma nova era de mercados transnacionais que funcionam de maneira distribuída. Com isso o bitcoin começou a ser negociado no mercado de futuros, bancos como santander passaram a usar o protocolo blockchain para transferência de fundos internacionais e grandes varejistas como Walmart começaram desenvolver blockchain para diminuição dos custos de logística.

Investidores são instituições ou pessoas físicas que acreditam no potencial do Bitcoin, seja enquanto ativo financeiro ou enquanto tecnologia e investem uma parte do seu capital nessa tecnologia. Nos últimos anos vimos uma explosão de bancos, fundos de investimento e governos interessados não só nesse mercado, mas também em desenvolver suas próprias moedas digitais.

A revolução provocada pelo Bitcoin e sua tecnologia se dá em inúmeras frentes: nas leis, nas mídias, nos centros financeiros e nas conversas de bar. O Bitcoin sempre aparece como objeto de atenção e curiosidade. Esse cenário desafia tanto legisladores quanto a mídia. Abrindo espaço para novos players.

Até pouco tempo, as moedas digitais eram um assunto técnico, debatido por profissionais da computação. Felizmente, hoje, as aplicações já chegaram nos celulares com interfaces intuitivas e simples. Com pouco cliques é possível fazer uma transação com alguém do outro lado do oceano. A facilidade do acesso é uma realidade que vem se desenvolvendo a passos largos e fomentando um riquíssimo cenário de competição pelo desenvolvimento da aplicação mais completa, simples e segura.

As notícias sobre as implementações da  tecnologia por trás do Bitcoin ainda são ofuscadas pelas notícias do valor do ativo. Mas pouco a pouco, as empresas começam utilizar e desenvolver a tecnologia blockchain e a tecnologia de outras moedas, mostrando para que cada tecnologia pode ser utilizada, criando um cenário favorável ao desenvolvimento desse ecossistema.

Por fim, os desenvolvimento de um ecossistema de pagamentos e transferência de dinheiro, a partir de meios eletrônicos tem crescido exponencialmente desde o surgimento do Bitcoin. Cada vez mais vemos estabelecimentos aceitando Bitcoins e desenvolvendo sua tecnologia.